Baden Powell
Matricule-se e veja os vídeos!
Nosso curso de História do Violão tem 10 aulas e 312 alunos matriculados.

Novidades do curso

Biografia

Baden Powell de Aquino é considerado um dos maiores violonistas de todos os tempos e um dos compositores mais fantásticos de nossa música. Nasceu em Varre-Sai-RJ em 06/08/1937 e faleceu em 26/09/2000 no Rio de Janeiro. Filho de Dona Adelina e de Lilo de Aquino, sapateiro e chefe de escoteiro que era fã do general britânico Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, criador do Escotismo, e decidiu dar a seu filho o mesmo nome. Baden é pai Philippe Baden Powell (pianista) e de Louis Marcel Powell (violonista) - ambos nascidos na França - e primo do violonista João de Aquino. Baden nasceu em Varre-Sai, pequena cidade no norte do estado do Rio que faz divisa com o Espírito Santo, mas com 3 meses de vida sua família decidiu se mudar para a cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente, para o bairro São Cristóvão. Seu pai, que tocava violão e violino, adorava uma roda de choro e promoveu muitos saraus de música em sua casa, onde o pequeno “Badinho” costumava acompanhar batucando no armário. Neles costumavam comparecer músicos como Pixinguinha, Donga, João da Baiana e Jayme Florence (Meira) - seu grande mestre. Aos 8 anos Baden começou a estudar violão com o pai, porém o pouco conhecimento violonístico de Lilo foi esgotado em poucas aulas. O garoto então foi encaminhado aos cuidados de Meira com quem estudo violão clássico pela Escola Tárrega e, naturalmente, música popular através do Choro, conhecendo a música de outros mestres do violão como Dilermando Reis, João Pernambuco e Garoto. O conhecimento das rodas de choro foi fundamental para o desenvolvimento meteórico do pequeno prodígio. Com 10 anos, se apresentou no programa de calouros de Ary Barroso, e no Papel Carbono, da Rádio Nacional, onde os músicos tinham que imitar alguém famoso. Baden tocou Magoado, de Dilermando Reis e foi aclamado pelo auditório. Terminou o curso de violão clássico em 4 anos e Meira disse a seus pais que já não tinha mais nada para ensinar ao jovem que, com 15 anos, ingressou na Escola Nacional de Música (atual Escola de Música da UFRJ). Com 22 anos gravou seu primeiro disco intitulado Apresentando Baden Powell e seu violão (1959) e teve seu primeiro grande sucesso em parceria com Billy Blanco, a composição Samba triste. A partir daí, foram mais de 70 discos gravados, muitos prêmios e muitas parcerias, a mais famosa delas com Vinicius de Moraes. Os dois se conheceram na boate Arpège, em Copacabana, e logo Baden foi convidado pelo “Poetinha” para compor algumas músicas. Após algumas tentativas frustradas, se reuniram na casa de Vinicius num encontro que durou quase 3 meses e rendeu a nossa música cerca de 50 canções dentre elas Berimbau, Samba em prelúdio, Samba da benção e os Afro-sambas - suíte de músicas inspiradas na cultura negra da Bahia e no Candomblé, lançadas em disco em 1966 - que deu ao movimento da bossa nova uma nova vertente. Na década de 1960 Baden se muda para Europa, morando por 20 anos em Paris, na França, e em Baden-Baden, na Alemanha, por 4 anos. Nesse período consolidou sua carreira internacional e gravou grande parte dos seus discos como Baden Powell (1971), La Grande Reunion com Stephane Grappelli (1974), Face au Public (1972), dentre outros. Retornou definitivamente ao Brasil em 1987 e, depois de mais alguns discos, veio a falecer no Rio de Janeiro em 26 de setembro de 2000, aos 63 anos. Baden foi um violonista genial que aliava exuberância melódica e expressividade em sua execução, sendo capaz de transitar entre a música clássica (ou de concerto) e temas do Candomblé com toda a propriedade que lhe cabia. Mas apesar de seu caráter cosmopolita, ao compor Baden era, essencialmente, brasileiro. Saravá, Baden Powell!

Discografia (intérprete e compositor) - Discos de carreira

78rpm (1960) Samba Triste/Estrellita - Philips (1961) Lição de Baião/Do Jeito Que a Gente Quer - Philips Lp’s e CD’s (1957) SAMBA EM HI-FI - Turma da Gafieira - Musidisc (1959) Apresentando Baden Powell e Seu Violão - Philips (1961) Um Violão na Madrugada - Philips (1963) Baden Powell Swing With Jimmy Pratt - Elenco (1964) Baden Powell à Vontade - Elenco (1964) Le Monde Musical de Baden Powell - Barclay / França (1965) Billy Nencioli et Baden Powell - Barclay / França (1966) Baden Powell ao Vivo no Teatro Santa Rosa - Elenco (1966) Os Afro-sambas de Baden e Vinícius - Forma - Download (1966) Tempo Feliz - Forma (1966) Tristeza on Guitar - SABA / Alemanha (1967) Poema on Guitar - SABA / Alemanha (1968) Show / Recital: Baden, Marcia & Originais do Samba - Philips - Download (1969) 27 Horas de Estúdio - Elenco - Download (1969) Le Monde Musical de Baden Powell Vol. 2 - B