Michael VM 21 R
Matricule-se e veja os vídeos!
Nosso curso de Qual violão comprar? tem 20 aulas e 1 alunos matriculados.

Novidades do curso


                                                                                     Escrito por Weslley Fernandes:

Violão Michael VM 21 R

Suas especificações são:

Lateral e fundo: Linden
Tampo: Linden
Braço: Solid Basswood
Escala: Rosewood
Trastes: 19 em níquel silver
Cores: Natural
Tarraxas: Douradas com Madrepérola
Cordas: Nylon

O violão Michael VM 21 R faz parte da linha R, que teve vários produtos descontinuados (ou seja, que não foram mais fabricados, como apresenta o próprio catálogo da empresa). O site da marca omite maiores detalhes sobre seus instrumentos, principalmente sua origem, restringindo-se a afirmar que são "produtos desenvolvidos por equipe própria". Para muitos isso pouco importa, no entanto, há os que se interessem em conhecer melhor a procedência e as especificações dos instrumentos que compram.

O violão testado apresentava um acabamento bastante interessante para seu preço, que está na faixa mais barata do mercado; sendo seu acabamento fosco um elemento que considerei um de seus diferenciais. Além disso, o instrumento possui filetes que passam por todo o corpo e nas laterais da escala, tendo bolinhas pretas na parte superior da escala para servir de marcação, guia útil para sabermos a região do braço em que estamos. Outro ponto que considerei interessante no visual do violão foi seu headstock (cabeça) que tem um desenho bem incrementado.

Ao tocar o instrumento tive a sensação de bastante conforto, pois suas cordas, apesar de estarem um pouco altas(1) com encordoamento de tensão(2) média, geraram um som com razoável definição, mas não tanta projeção, ou seja, lhe faltava um pouco de volume de som. O que, aliás, é o comum nesses instrumentos mais baratos devido à qualidade das madeiras empregadas em sua construção. Vale dizer que o violão não apresentou trastejamentos(3) e que possui ainda tensor(4), o que é bastante útil para regular o braço e ajustá-lo a uma posição mais confortável para o músico. O tensor é Dual Action (Dupla Ação), que vem em vários instrumentos atualmente e que possibilita o ajuste do braço em dois sentidos, proporcionando uma melhor regulagem em relação ao tensor mais comum. A afinação se manteve boa enquanto o toquei, ponto bastante positivo para o estudante inicial que ainda não aprendeu a afinar e não deve ficar estudando com o instrumento desafinado.

O ponto negativo a ser citado é o som um pouco seco, sem cor e sem timbre que o violão apresentou, mas que talvez seja melhorado ao usarmos cordas um pouco melhores que aquelas que vêm de fábrica.

Em resumo é possível dizer que se trata de um violão dentro da média do mercado para sua faixa de preço, destacando-se principalmente por seu visual e acabamento; sendo mais uma opção a ser testada no momento da compra de seu instrumento.

Legenda:

(1) - Ação é o nome dado para a distância entre as cordas e o braço do violão. Quanto maior a distancia entre as cordas e o braço, maior a ação, e maior a dificuldade para tocar.

(2) - Tensão é a força que estica as cordas. Quanto maior a tensão, maior a força que estica a corda e maior a firmeza. Um tensão muito alta deixa o violão mais "duro", porém dá mais precisão para o instrumentista.

(3) - Dizemos que uma corda está trastejando quando ela encosta no traste e faz um barulho metálico e tremido, prejudicando a sonoridade. Violões com ação muito baixa são mais fáceis de tocar mas tem maior possibilidade de trastejamento.

(4) - O tensor é uma peça que fica no braço do violão e permite uma regulagem mais rápida do instrumento. Facilitando o aumento ou a diminuição da tensão das cordas.