Giannini GNC-3 SPC
Matricule-se e veja os vídeos!
Nosso curso de Qual violão comprar? tem 20 aulas e 1 alunos matriculados.

Novidades do curso


                                                                                     Escrito por Weslley Fernandes:

Apresento abaixo o violão Giannini GNC-3 SPC

Lateral e fundo: Rosewood (Jacarandá)
Tampo: Spruce (Pinho)
Braço: Nato
Escala: Rosewood (Jacarandá) Com bolinhas brancas nas laterais.
Trastes: 19
Cores: Natural
Tarraxas: Douradas com madre-pérola
Cordas: Nylon

O Giannini GNC-3 SPC faz parte do que a Giannini batizou de Acoustik Series. Seguindo a linha dos antigos Sevilla, Cadiz e Asturias é um violão de nível um pouco melhor do que aqueles mais comuns presentes nas lojas. Não se trata de um violão da faixa mais barata do mercado, nem tão pouco da mais cara.

Considerei uma grata surpresa encontrar esse violão, que tem um acabamento muito bom e tem realmente uma cara de violão clássico de concerto. Não dá para dizer que é um violão clássico profissional como o site da marca apresenta, mas é um belo violão com o qual o estudante pode se desenvolver bastante em uma etapa inicial.
O instrumento é bastante leve e muito confortável de tocar. Seu tampo, laterais e fundo são feitos de boas madeiras, as quais são amplamente utilizadas nos violões clássicos "de verdade", como o pinho (spruce) e o jacarandá (rosewood). Vale esclarecer que existem diversos tipos de jacarandá e que o deste violão é o jacarandá indiano; e também que para um violão mais barato essas madeiras em questão estão num nível abaixo das utilizadas nos violões realmente profissionais.

O ponto alto do Giannini GNC-3 SPC é seu timbre. Por causa das madeiras utilizadas ele tem uma sonoridade mais consistente e encorpada, tendo um som "doce" e com boas possibilidades de dinâmica; muito embora não tenha um som muito potente para o que o violão aparenta.

As cordas eram de tensão(1) média e a ação(2) era baixa, o que lhe deixou bem "macio" de tocar. Seria possível colocar cordas de maior tensão e naturalmente obter um pouco mais de volume e resposta do violão. O instrumento não apresentou trastejamentos(3).

Suas tarraxas são um tanto simples diante do padrão do violão como um todo, o que se justifica pelo preço do instrumento, mas que mantém bem a afinação. Ele possui tensor(4), o que é útil caso se necessite regular o braço para se obter um pouco mais de conforto ao tocar.

Por se tratar de um violão que busca ser mais clássico, não tem pinturas com cores diferentes sendo, portanto, de cor natural. Tem marcações com bolinhas na parte de cima da escala.

Por fim, podemos dizer que se trata de um excelente violão para sua faixa de preço, feito com boas madeiras, com um bom acabamento, boa sonoridade, boa tocabilidade. Adequado tanto para os estudantes que pensam em tocar peças solo do repertório do violão clássico quanto para os que estudam violão popular.

Legenda:

(1) - Tensão é a força que estica as cordas. Quanto maior a tensão, maior a força que estica a corda e maior a firmeza. Um tensão muito alta deixa o violão mais "duro", porém dá mais precisão para o instrumentista.

(2) - Ação é o nome dado para a distância entre as cordas e o braço do violão. Quanto maior a distancia entre as cordas e o braço, maior a ação, e maior a dificuldade para tocar.

(3) - Dizemos que uma corda está trastejando quando ela encosta no traste e faz um barulho metálico e tremido, prejudicando a sonoridade. Violões com ação muito baixa são mais fáceis de tocar mas tem maior possibilidade de trastejamento.

(4) - O tensor é uma peça que fica no braço do violão e permite uma regulagem mais rápida do instrumento. Facilitando o aumento ou a diminuição da tensão das cordas.