Cordas de náilon
Matricule-se e veja os vídeos!
Nosso curso de Qual violão comprar? tem 20 aulas e 1 alunos matriculados.

Novidades do curso

A sonoridade de um violão é muito influenciada pelo estado das cordas utilizadas. Cordas novas proporcionam um som mais cheio, com mais harmônicos, maior sustentação e projeção. Com o passar do tempo as cordas se desgastam, oxidam, sua sonoridade perde o brilho e as notas perdem a sustentação.

Vamos focar nas cordas de náilon, utilizadas nos violões clássicos.

O primeiro ponto a ser decidido é a tensão. Quanto maior a tensão, mais força precisamos imprimir às cordas, fica mais difícil de tocar. Por outro lado, cordas com tensão alta produzem mais som do que cordas com tensão baixa. É uma decisão do músico. Ele pode optar por ter mais tensão e mais som ou então pode ter menos tensão e mais conforto.

As tensões mais comumente encontradas são: leve, média e pesada. Alguns fabricantes possuem outras opções como extra-leva ou extra-pesada.

Muitos alunos me escrevem dizendo que as três primeiras cordas são de náilon e as três mais graves são de aço, essa é uma confusão muito comum. As cordas mais graves de um encordoamento de náilon não são de aço, são apenas revestidas de outro material, mas o material interno (que é chamado de alma) é de náilon. Veja um exemplo na ilustração abaixo.

Cordas de náilon
Foto: http://www.giannini.com.br/novo/produto.asp?id=54

O material que reveste as três cordas mais graves de um encordoamento de náilon pode ser:

Bronze:

O bronze é uma liga metálica que mistura cobre e outros materiais. Para o revestimento das cordas pode ser acrescentado zinco à liga. A proporção de zinco é indicada pelo número 80/20 (80% de cobre e 20% de zinco). Essa é a proporção mais comum para esse tipo de corda, que resulta em um som muito brilhante. Alguns fabricantes utilizam outras proporções. As cordas da série “Clássico” da Giannini utilizam a proporção de 65/35, aplicando muito zinco à mistura para melhorar a durabilidade do conjunto.


Foto: http://www.giannini.com.br/produto_grupo/24/110/11/44/genwpm_-_media.html

Uma maior quantidade de cobre proporciona um som mais claro, porém a oxidação é mais rápida.

Bronze Fosforoso:

O fósforo é adicionado à liga para melhorar a durabilidade das cordas, que resistem um pouco mais à oxidação.

Na figura abaixo temos um jogo de cordas da fabricando D´addario que utiliza bronze fosforoso no revestimento das cordas graves.


Foto:http://www.daddario.com/DADProductDetail.Page?ActiveID=3769&productid=71&productname=EJ38H_Phosphor_Bronze__High_Strung_Nashville_Tuning__10_27

Cobre prateado:

As cordas revestidas com cobre prateado oferecem um toque mais macio e mais durabilidade do que as cordas de bronze, mas a sonoridade não é tão brilhante. Na figura abaixo temos um exemplo de corda com alma de náilon, revestida com cobre prateado.


Foto: http://www.frets.com/FretsPages/Musician/Strings/Strings/strings01.html

A forma como o revestimento é envolto à alma varia também. Os métodos são:

Fio Redondo (Roundwound):

O fio é enrolado de forma natural (redonda) em volta da “alma”. Esse método é o que oferece a sonoridade mais projetada e clara, mas também pode gerar alguns ruídos no arraste dos dedos e algum desconforto.


Foto: http://loudluthieria.com/blog/2014/07/cordas-tudo-sobre/

Fio ½ Polido (Semi-round wound):

O revestimento pode ser parcialmente polido para que a superfície da corda fique mais plana, oferecendo mais conforto ao músico e diminuindo os ruídos no arrastar dos dedos pelas cordas.

A sonoridade diminui um pouco.


Foto: http://loudluthieria.com/blog/2014/07/cordas-tudo-sobre/

Fio Chato (Flatwound):

Um fio completamente achatado, que proporciona uma sensação de conforto grande, em troca de maior perda de sonoridade. Essa é a opção menos utilizada das três que descrevemos.


Foto: http://loudluthieria.com/blog/2014/07/cordas-tudo-sobre/

As opções para as cordas mais agudas são:

Náilon puro (Clear Nylon):

Feito de um filamento único de náilon puro. Proporciona um som com bastante clareza.


Foto: http://www.frets.com/FretsPages/Musician/Strings/Strings/strings01.html

Náilon retificado (Rectified Nylon):

Também é feito com náilon puro, mas passa por um processo para que o filamento de náilon fique perfeitamente redondo, com uma circunferência perfeita ao longo de toda sua extensão. A sonoridade melhora muito e fica mais encorpada.

Náilon Preto (Balck Nylon):

Feito de uma composição diferente. Produz um som com mais harmônicos agudos. Abaixo temos um exemplo da fabricante D´addario.


Foto:http://daddario.com/DADProductDetail.Page?ActiveID=3769&productid=218&productname=EJ49_Pro_Art__Black_Nylon__Normal_Tension&sid=e413a95b-c12f-4b3a-a341-7f0f50232846

Titanium:

Mais brilho e projeção que as cordas de náilon. A sonoridade do violão fica mais equilibrada, com o som das cordas mais agudas (primas) ficando em um volume igual ao das mais graves (baixos). Temos um bom exemplo com esse jogo de cordas da D´addario:


Foto:http://www2.musical-express.com.br/beta/daddario/lista_de_produtos/ej44tt-titanium-trebles-extra-hard-tension/

Composta:

Feita de multi-filamentos de náilon, como as cordas mais graves, recebendo revestimento. É utilizado em alguns encordoamentos que tem a corda G revestida. Proporcionando melhor projeção e durabilidade para essa corda e uma melhor transição entre a sonoridade das agudas para as graves. Como no exemplo dessa corda da Giannini:


Foto:http://www.giannini.com.br/novo/produto.asp?id=899

[propaganda titulo="Como comprar o violão ideal" imagem="http://www.allansales.com.br/wp-content/uploads/2011/03/como-comprar-o-violao-ideal-capa-pequena.jpg" preco="9,90" link="http://loja.allansales.com.br/produto/25"]